Guerras: como entender e como analisar

INFORMAÇÕES BÁSICAS

Local: Belo Horizonte — O local exato será informado oportunamente.

Datas: 15, 22 e 29 de maio; 5, 12 e 26 de junho; e 3 de julho de 2019.

Horário: Quarta-feira, 19:00-22:00 — Carga horária total 21 h.

Investimento: Valor promocional (para a primeira oferta da capacitação) de R$ 975,00 (novecentos e oitenta e quatro reais) — inclui material de apoio [pasta com bolso, papel para anotações, caneta].

Descontos: Para esta atividade, haverá um desconto especial (mediante comprovação) de 10% para:

A quem se destina:

  • Este curso é voltado para o amplo público de pessoas interessadas, desde que estejam cursando ou tenham concluído o Ensino Superior, em qualquer área.

Obs.: Para evitar conflitos de interesse, não poderão inscrever-se alunas e alunos regularmente matriculados nos cursos de graduação e de pós-graduação stricto sensu em Relações Internacionais da PUC Minas.

Para esta atividade, trabalharemos com uma turma reduzida para máximo aproveitamento: mínimo de 8 (oito) e máximo de 15 (quinze) participantes.

Obs.: A atividade será cancelada caso o número mínimo de inscritos (com pagamento efetuado) não seja alcançado até o dia 17 de maio de 2019 — nesse caso, os pagamentos de inscrições efetuados serão devolvidos.

Serão emitidos certificados em versão digital para participantes com frequência igual ou superior a 75%.

Informações e inscrições: synopsis@synopsisint.com

 

APRESENTAÇÃO

Independentemente de nossos sentimentos diante de muitas mortes e destruição — ou, talvez, por causa de nossos sentimentos diante de muitas mortes e destruição —, guerras (com os nomes e eufemismos que se queiram dar) são um fenômeno recorrente na cena internacional. Mesmo se empenhados em evitar que elas ocorram, é necessário lidar com elas quando ocorrem, ou quando poderiam ocorrer, ou quando se ameaçam ou se preparam para inicia-la. Isso exige conhecimento tanto da sua dinâmica interna quanto da sua relação com os processos políticos e com as outras atividades humanas. Aliás, esse conhecimento é necessário até mesmo para evitar a ocorrência de guerras, com tudo o que isso possa ter de desagradável, particularmente no que concerne à condição da existência humana em sociedade.

E, no entanto, frequentemente observamos posicionamentos desinformados que, sem que o percebamos ou saibamos, acabam, na ânsia de impedir ou dificultar a ocorrência de guerras, acabam tornando-as mais prováveis e frequentes, ainda que em momentos posteriores. Isso se dá, em larga medida, por características peculiares no que concerne ao seu entendimento. Quando se trata de questões econômicas, por exemplo, todos nós temos alguma experiência de transações e escolhas em situação de escassez; no mínimo, já estivemos sem dinheiro para comprar um picolé, um salgado, ou já tivemos que evitar outros gastos para comprar uma roupa, um tênis ou um videogame. Mas, quando se trata de guerras, a maior parte de nós nunca sequer trocou meia dúzia de socos com alguém, e menos ainda se valeu de armamentos, proteção, coordenação de movimentos para infligir ferimento e morte, ou evitar sofrê-los. Portanto, falta-nos até mesmo a base experiencial mínima para a compreensão do fenômeno.

Na verdade, a situação talvez seja até pior: muitas das informações que recebemos sobre guerras vêm de filmes e séries, cujo propósito está longe de ser educar as pessoas para compreendê-las, mas, muitas vezes, trata-se até mesmo de valer-se de nossos preconceitos e desinformação para produzir emoção — mesmo que produção, direção, roteiristas não saibam que é isso que estão fazendo.

Assim, o curso Guerras: Como entender e analisar visa a ajudar as e os participantes a:

  • Distinguir a atividade bélica de outras atividades sociais;
  • Identificar e caracterizar fenômenos e processos próprios da guerra e suas implicações;
  • Relacionar a atividade bélica à dinâmica política;
  • Avaliar as possibilidades e limitações de alternativas de emprego da força em diferentes contextos;
  • Avaliar a adequação e os méritos de alternativas de configuração de força;
  • Relacionar as alternativas de emprego de força com as possibilidades logísticas e organizacionais de cada sociedade.

 

PROGRAMA

  1. Introdução à Guerra e ao Pensamento Estratégico
  2. A dinâmica dos meios de força em terra
  3. A dinâmica dos meios de força no ar
  4. A dinâmica dos meios de força no mar
  5. Logística/ Comando e Controle
  6. Armamentos de Destruição em Massa

 

RESPONSÁVEL

Prof. Eugenio Diniz

O Prof. Eugenio Diniz é Diretor Executivo e fundador da Synopsis — Inteligência, Estratégia, Diplomacia. Tem ampla experiência em análise de inteligência, tendo sido anteriormente analista da Agência Brasileira de Inteligência — ABIN. Participou de discussões no Congresso Nacional, em diversas unidades do Ministério da Defesa, das Forças Armadas e do Ministério das Relações Exteriores, em think tanks, organizações privadas e instituições de pesquisa. É professor do Departamento de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais — PUC-MG. No Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Relações Internacionais da PUC-MG, atua na linha de pesquisa Inteligência, Estratégia e Contraterrorismo. É Presidente da Associação Brasileira de Relações Internacionais — ABRI (biênios 2017-2019 e 2015-2017). É membro do International Institute for Strategic Studies — IISS (Londres), da Associação Brasileira de Relações Internacionais — ABRI, da Arms Control Association, da International Studies Association — ISA, da International Association for Security and Intelligence Studies — INASIS e do Grupo de Estudos Estratégicos — GEE (Rio de Janeiro). É pesquisador 1C do CNPq e parecerista de diversas instituições de fomento à pesquisa e de periódicos científicos nacionais e internacionais. 

Todos os Direitos Reservados - Desenvolvido por SiteFox