Capacitação em Inteligência, Antecipação e Prevenção de Crises

INFORMAÇÕES BÁSICAS

Local: Belo Horizonte — O local exato será informado oportunamente.

Datas: 25 de maio e 8 de junho de 2019.

Horário: 9:00-12:00; 13:30-16:30 — Carga horária total 12 h.

Investimento: Valor promocional (para a primeira oferta da capacitação) de R$ 984,00 (novecentos e oitenta e quatro reais) — inclui material de apoio [pasta com bolso, papel para anotações, caneta], kit dental e 2 coffee-breaks.

Descontos: Para esta atividade, haverá um desconto especial (mediante comprovação) de 10% para:

A quem se destina:

Para esta atividade, trabalharemos com uma turma reduzida para máximo aproveitamento: mínimo de 6 (seis) e máximo de 15 (quinze) participantes.

  • Profissionais que atuam em Gestão, Planejamento, Marketing, Comunicações, Direito e Relações Internacionais;
  • Docentes, principalmente os relacionados às atividades mencionadas acima;
  • Pessoas interessadas que tenham concluído curso superior.

Serão emitidos certificados em versão digital para participantes com frequência igual ou superior a 75%.

Informações e inscrições: synopsis@synopsisint.com

  • Obs. 1:Para evitar conflitos de interesse, não poderão inscrever-se alunas e alunos regularmente matriculados nos cursos de graduação e de pós-graduação stricto sensu em Relações Internacionais da PUC Minas.
  • Obs. 2: A atividade será cancelada caso o número mínimo de inscritos (com pagamento efetuado) não seja alcançado até o dia 17 de maio de 2019 — nesse caso, os pagamentos de inscrições efetuados serão devolvidos.

APRESENTAÇÃO

Situações de crise são aquelas em que a sobrevivência de organizações, grupos ou indivíduos está em perigo; ou, no mínimo, existe grande possibilidade de drástica deterioração de suas condições normais de vida ou operação. Às vezes, algumas organizações dispendem consideráveis esforços para preparar-se para gerir eventuais crises — o que, em si mesmo, é bom, pois sempre existe a possibilidade de que estas aconteçam. Mas a melhor maneira de gerir crises é evitar que elas ocorram.

É muito comum que vários sinais da aproximação de uma situação de crise estivessem disponíveis, muitas vezes até mesmo no interior da organização, mas não havia mecanismos ou procedimentos institucionalizados para aproveitar tais informações, processá-las e levar a decisões que permitiriam interromper a materialização da crise, ou pelo menos mitigar suas consequências. Infelizmente, é uma prática rotineira que a capacidade instalada de “inteligência competitiva” associada ao planejamento das organizações esteja focada na competição imediata; quando muito, haverá alguma atenção para o risco político associado ao descumprimento de obrigações ou a desapropriações por parte de alguns Estados, à instabilidade política e social, ou a riscos regulatórios. É mais raro que organizações estabeleçam uma capacidade sistemática de monitorar seus ambientes interno e externo com vistas a uma atuação mais proativa no sentido de lidar antecipadamente com crises, idealmente antes que estas se materializem.

É para ajudar a contribuir para o enfrentamento dessa lacuna que a Capacitação em Inteligência, Antecipação e Prevenção de Crises foi concebida. A ideia é permitir a familiarização com algumas das técnicas e melhores práticas da análise de inteligência, e particularmente da inteligência de alerta (warning intelligence), tal como praticada em diversas organizações (inclusive organizações de inteligência, mas também empresas). Dar-se-á especial atenção às dificuldades intrínsecas do processo de inteligência e a algumas das técnicas para superá-las ou mitigar suas consequências.

É importante salientar que esta capacitação não estará focada no gerenciamento de crises já instaladas, ou seja, quando se trata de lidar com suas piores consequências, tentar contê-las e minimizar seus danos, e reconstruir as condições de atuação depois de passado o seu ápice: o foco aqui é no desenvolvimento da capacidade de antecipar-se à crise. Naturalmente, como a própria capacidade de antecipar-se exige um entendimento da estrutura e características gerais de situações de crise, e como também é necessário antecipar-se à possibilidade de que algumas crises se materializem, haverá alguma consideração de tais situações; mas, reitera-se, o foco da capacitação é na capacidade de prevenção.

Também não é uma capacitação voltada para ferramentas tradicionais de planejamento estratégico ou inteligência competitiva — como, por exemplo, análises de SWOT, análises de cenários ou prognósticos de desenvolvimentos tecnológicos (technology forecasting). Embora alusões e considerações referentes a tais ferramentas e outras semelhantes tendam a aparecer, o foco da capacitação recairá sobre ferramentas e técnicas de inteligência para a identificação antecipada de sinais de que uma crise possa estar se desenvolvendo, ao monitoramento dos desdobramentos e a geração de alertas em tempo hábil para evitar o desenvolvimento de crises.

 

PROGRAMA

  1. Entendendo as crises
  2. Evitando e antecipando crises: Construindo Estratégias
  3. Monitoramento e Alerta Antecipado: O Enfoque da Inteligência
  4. Construindo a capacidade de monitoramento e alerta antecipado

 

RESPONSÁVEL

Prof. Eugenio Diniz

O Prof. Eugenio Diniz é Diretor Executivo e fundador da Synopsis — Inteligência, Estratégia, Diplomacia. Tem ampla experiência em análise de inteligência, tendo sido anteriormente analista da Agência Brasileira de Inteligência — ABIN. Participou de discussões no Congresso Nacional, em diversas unidades do Ministério da Defesa, das Forças Armadas e do Ministério das Relações Exteriores, em think tanks, organizações privadas e instituições de pesquisa. É professor do Departamento de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais — PUC-MG. No Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Relações Internacionais da PUC-MG, atua na linha de pesquisa Inteligência, Estratégia e Contraterrorismo. É Presidente da Associação Brasileira de Relações Internacionais — ABRI (biênios 2017-2019 e 2015-2017). É membro do International Institute for Strategic Studies — IISS (Londres), da Associação Brasileira de Relações Internacionais — ABRI, da Arms Control Association, da International Studies Association — ISA, da International Association for Security and Intelligence Studies — INASIS e do Grupo de Estudos Estratégicos — GEE (Rio de Janeiro). É pesquisador 1C do CNPq e parecerista de diversas instituições de fomento à pesquisa e de periódicos científicos nacionais e internacionais. 

Todos os Direitos Reservados - Desenvolvido por SiteFox